Cientistas da China criam novo fuzil a laser capaz de carbonizar o adversário

Como tinha falado em outras postagens que a tecnologia vem para ajudar e também destruir, mas para ser preciso é conta que tem que ser paga perante a tanta tecnologia. A tecnologia também se encontra em armamentos de guerras quanto melhor os equipamentos de guerra melhor terá chance de ganhar, uma equipe de pesquisadores da China desenvolveu uma espécie de fuzil que dispara lasers em vez de balas. O protótipo, identificado como ZKZM-500, é capaz de atear fogo a qualquer alvo numa distância de até 800 metros. Segundo informações do jornal South China Morning Post, o ZKZM-500 foi produzido pelo Instituto Xian de Ótica e Mecânica de Precisão, um laboratório da Academia Chinesa de Ciência, órgão ligado ao governo local.

Fuzil a laser

Com cano de 15 milímetros e pesando 3 quilos, o ZKZM-500 se assemelha a um fuzil modelo AK-47. Ele é capaz de realizar até 1.000 disparos de laser, cada um com 2 segundos de duração, e que são invisíveis a olho nu. Mesmo assim, o laser é altamente concentrado, de modo que é capaz de atravessar vidros e janelas e de causar "carbonização instantânea" de qualquer tecido, incluindo a pele humana, segundo um dos cientistas ligados ao projeto. A "munição" dessa arma consiste numa bateria de íon de lítio, do mesmo tipo que se encontra em smartphones, só que muito maior. A empresa por trás do ZKZM-500 está se preparando para produzir o fuzil de laser em larga escala. A peça será oferecida a autoridades policiais da China, mas, num documento compartilhado com o governo do país, ela é descrita como uma arma "não-letal". Isto porque um único disparo do laser não é capaz de ferir uma pessoa. Agora imagina um fuzil desses nas mãos de bandidos ia queimar a população toda.
TecSuperNews

Comentários

Postagens mais visitadas

Wikipédia faz greve em protesto contra lei europeia que destrói a Internet

Novo Galaxy S10 terá 3 versões e leitor de digitais na tela

Já ouviu falar em cabo submarino? Ele leva a internet pelos oceanos no mundo todo